Sólida

BLOG

5 DICAS PARA COMPRAR SEU APARTAMENTO

A aquisição de um imóvel é um momento de muita felicidade na vida de qualquer pessoa. No entanto, por envolver valores elevados, é também um processo que exige cuidado e inteligência. Dentro desse contexto, é preciso levar em conta diversos fatores, desde as necessidades de moradia do próprio comprador, idoneidade da construtora responsável pela execução do imóvel e, é claro, o planejamento financeiro.

1 – SEGURANÇA

Quando se fala em casa, existe uma ideia verdadeira de mais liberdade e privacidade. Embora existam essas vantagens, pelo lado da segurança a situação pode ser outra. Como a segurança em uma casa depende exclusivamente de você, o imóvel pode ser um alvo mais fácil para pessoas mal intencionadas.

Além disso, o fato de casa ser um imóvel isolado (o que não é o caso de um apartamento) faz com que essa seja uma opção mais vulnerável a ataques, especialmente os mais discretos. Se não houver uma atenção constante da vizinhança a respeito de movimentações suspeitas, casas são alvos relativamente mais fáceis.

Morar em um apartamento pode trazer uma sensação de mais segurança por se tratar de um espaço compartilhado e de aceso mais difícil. A proximidade dos apartamentos também ajuda a evitar problemas de invasões, podendo ser coibidas com a aquisição de equipamentos de segurança como alarmes e câmeras, inclusive com custo muito inferior em relação a casa, pois a divisão é entre todos os condôminos.

Para quem viaja muito ou passa muito tempo fora de casa durante o dia, inclusive, essa é a opção ideal, porque uma casa vazia é um chamariz para atos criminosos como invasões e roubos.

2 – PESQUISE A IDONEIDADE DA CONSTRUTORA

A compra de um apartamento é algo que irá te comprometer financeiramente durante anos, portanto, é preciso haver confiança para que essa relação seja satisfatória e segura para todas as partes envolvidas.

Antes de adquirir o imóvel pesquise o histórico da construtora. Vale consultar o nome da empresa na internet através de redes sociais e sites como Reclame Aqui e o do Procon, verificando se há reclamações feitas por outros compradores e como a construtora procede em relação aos problemas. Verifique também se a empresa possui ações na Justiça e débitos junto à prefeitura.

Se possível, é recomendável conferir pessoalmente o canteiro de obras para checar a qualificação dos profissionais responsáveis, a qualidade dos materiais empregados e as técnicas construtivas utilizadas na construção do imóvel.

Uma dica valiosa é pedir auxílio de um especialista para certificar-se da qualidade dos materiais e equipamentos que serão utilizados na obra, como elevadores, materiais hidráulicos e elétricos, porcelanatos e revestimentos, metais sanitários, entre outros materiais especificados no memorial descritivo.

3 – PLANEJAMENTO FINANCEIRO

Antes de pensar em adquirir o imóvel que você tanto quer é necessário ter organização e planejamento financeiro.

Por isso, a primeira coisa a fazer para atingir essa conquista é se organizar financeiramente. Tenha em mãos seu orçamento, lance seus ganhos e gastos em uma planilha e calcule quanto sobrará por mês para ser investido na compra do imóvel.

O financiamento ainda é a modalidade mais usada pela grande parte dos brasileiros na hora de conquistar o sonho da casa própria.

Ao optar pelo financiamento, prefira pagar o valor de entrada mais alto possível. O comprador necessitará pagar à vista pelo menos 20% do valor do imóvel, pois os bancos financiam, em geral, até 80% do valor do imóvel. Isso porque, quanto menor for a quantia a ser financiada, menores serão as parcelas e os juros a serem pagos e mais rápido o imóvel será quitado.

Entre os custos de aquisição não devem ser negligenciados o ITBI e os custos cartoriais de transferência de escritura. Alguns bancos financiam esses custos junto ao financiamento imobiliário mas a política varia de instituição para instituição. Alguns bancos financiam os 80% do valor do imóvel e mais os custos de transferência, enquanto outros bancos financiam os custos desde que estejam inclusos nos 80% do valor do imóvel.

Um recurso fundamental para a compra do imóvel pode vir do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), já que seu uso é permitido para a aquisição e financiamento de imóveis. O FGTS é formado por valores depositados pelos empregadores em contas específicas na Caixa Econômica Federal. O montante que é depositado mensalmente e corresponde a 8% dos vencimentos em folha do trabalhador. Apesar do FGTS ficar depositado junto à Caixa Econômica Federal ele pode ser utilizado na amortização de financiamento imobiliário junto a qualquer instituição financeira.

A parcela de financiamento deve corresponder a no máximo a 30% da renda da família. Lembrando que as parcelas vão caindo com o passar do tempo, claro, dependendo da tabela de amortização escolhida pelo comprador no momento da compra do imóvel.

Mas ainda vale destacar a importância dos juros, que é variável de banco para banco. Os juros são itens fundamentais quando o assunto é financiamento de imóvel. E a taxa deles pode variar dependendo do grau de relacionamento que você possui com o banco.

Para as pessoas que já são correntistas ou fazem transações com o banco, por exemplo, é possível conseguir taxas de juros mais atrativas, fazendo com que você não precise ter uma renda tão alta.

4 – LOCALIZAÇÃO

As regiões mais bem localizadas numa cidade, próximas ao centro comercial e localizadas nas principais vias de locomoção, via de regra, possuem terrenos com valores elevados devido à alta procura. Os preços altos dos lotes tornam inviáveis para a maioria das pessoas adquirir um terreno para a construção de uma residência nesses locais. Esse problema é solucionado pelos edifícios residenciais que possibilitam fracionar o valor do terreno na quantidade de apartamentos disponíveis no condomínio.

A aquisição de um apartamento possibilita a experiência de morar em regiões com m² do terreno elevado com um preço mais acessível.

Outro fator importante sobre a localização é em relação à acessibilidade. Verifique se o imóvel fica próximo do seu local de trabalho.

A valorização da região no longo prazo também é fundamental na avaliação para a compra do seu apartamento. Novas construções, comércios e parques previstos na região podem valorizar sua moradia.

5 – PRIORIDADE DE ESPAÇOS

Sempre tenha muito claro quais são as suas reais necessidades. Por exemplo, talvez você não goste muito de cozinhar, mas precise ter um escritório para trabalhar em casa. Sendo assim, não faz sentido nenhum ter uma cozinha gourmet, que é mais elaborada e dedicada especialmente para quem tem amor pela cozinha. Portanto, defina suas prioridades e quais espaços da casa são mais importantes para você e invista nisso.

Se você tem carro procure se informar sobre as dimensões das vagas, verifique a área de manobra que dê acesso a vaga e priorize apartamentos com vagas anexadas a escritura do imóvel. Sem contar que a vaga na garagem demarcada é um item que facilita a venda do imóvel no futuro, além de valorizá-lo. São dicas valiosas que evitarão estresse no dia-a-dia e pequenos acidentes no seu veículo.

Ao procurar um apartamento, é comum pensarmos no agora e optarmos por apartamentos que se adaptem somente à nossa situação atual. Mas, futuramente, essa decisão pode não parecer tão boa. Se você procura um apartamento para viver por muitos anos, e tem nele seu sonho/projeto de vida, é importante considerar esses pontos e fazer uma projeção de como a sua vida poderá ser daqui alguns anos.

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + dezoito =