A IMPORTÂNCIA DAS TELAS DE PROTEÇÃO EM JANELAS E SACADAS

BLOG

A IMPORTÂNCIA DAS TELAS DE PROTEÇÃO EM JANELAS E SACADAS

Quem é pai ou mãe sabe que, por maior que seja a dedicação e o cuidado com as crianças, não dá para ficar 100% do tempo monitorando os filhos. O mesmo vale para quem tem um ou mais animais de estimação. E nos poucos segundos de distração, em que atendemos o telefone, respondemos uma mensagem no WhatsApp ou precisamos ir ao banheiro, muita coisa pode acontecer, principalmente para quem vive em apartamentos. Daí vem a importância das telas de proteção.

Essas telas, também chamadas de redes, são econômicas, práticas e feitas de um material extremamente resistente que dificilmente se arrebenta. Podem ser instaladas estrategicamente em janelas, sacadas, varandas, guarda-corpos, escadas, piscinas e em outros locais para oferecer mais segurança a crianças pequenas, animais, objetos e até mesmo a adultos.

A qualidade da rede de proteção é tão importante quanto a qualidade da instalação. Por isso, dê preferência a empresas filiadas à Abrasredes – Associação Brasileira de Empresas Técnicas em Instalação de Redes de Proteção e Segurança. Além disso, a instalação em prédios deve ser feita respeitando as normas da ABNT NBR 16046-3:2012.

COMO AUMENTAR A DURABILIDADE DAS REDES DE PROTEÇÃO


Existem alguns cuidados que podem conservar melhor o material após a instalação:

– Evite misturar produtos químicos com o material da tela de proteção. Utilize somente pano úmido e sabão neutro quando for efetuar a limpeza;

– Não aproxime materiais cortantes, pontiagudos (tesouras, facas, etc.) ou fontes de calor (velas, ferro de passar roupa, cigarros, dentre outros) da rede de proteção;

– Não retire os ganchos ou a corda para efetuar a limpeza. Jamais os remova para limpar os vidros!

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

COMO MANTER SUA ÁREA DE SERVIÇO DECORADA E ORGANIZADA

COMO MANTER SUA ÁREA DE SERVIÇO DECORADA E ORGANIZADA

BLOG

COMO MANTER SUA ÁREA DE SERVIÇO DECORADA E ORGANIZADA

COMO MANTER SUA ÁREA DE SERVIÇO DECORADA E ORGANIZADA

Á área de serviço é frequentemente utilizada como depósito pelos moradores e, por esse motivo, costuma “passar batido” durante a organização e decoração. Mas acredite: é possível deixar esse cômodo da casa mais apresentável e bonito! Confira as dicas que separamos para você.

ORGANIZAÇÃO

Pode parecer complicado organizar a área de serviço, já que estamos falando em um ambiente compacto que fica ainda menor devido ao espaço ocupado pela máquina de lavar/secadora, dos produtos de limpeza, dentre outros.

Por isso, existem alguns itens essenciais para tornar esse espaço da casa ainda mais útil.

Prateleiras e armários: são itens indispensáveis para a área de serviço. Além de auxiliarem na limpeza, evitando o excesso de objetos espalhados pelo chão, proporcionam uma melhor conservação de produtos químicos que devem ficar longe da exposição do sol. Também é importante ressaltar que prateleiras e armários altos são ótimos para colocar os produtos mais perigosos que devem ficar longe de crianças e animais.

Varal: em apartamentos, são uma ótima estratégia, já que diversos condomínios possuem regras de secar roupas em sacadas ou janelas. Também são grandes aliados em dias de chuva.

Torneira de tanque com adaptação para a máquina de lavar: facilita a lavagem de roupa e também evita o desperdício de água.

Cestos e caixas organizadoras: esses utensílios ajudam bastante a manter a organização na área de serviço e podem também contribuir na decoração.

ÁREA DE SERVIÇO INTEGRADA COM COZINHA

A melhor forma de decorar uma área de serviço que não possui divisória entre a cozinha é utilizando o mesmo padrão de cores.  Se a cozinha utiliza o jogo de cores branco e preto, é bom apostar nessas mesmas cores em itens como cestos, armários e outros utensílios.

Você também pode contar com a ajuda de um(a) decorador(a) para deixar a sua casa muito mais estilosa e apresentável!

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ATRASEI AS PRESTAÇÕES. E AGORA?

BLOG

ATRASEI AS PRESTAÇÕES. E AGORA?

Muitas pessoas sonham com o dia em que irão adquirir a casa própria, e quando essa oportunidade chega, acabam financiando o imóvel em diversas parcelas. Mas é preciso ter cuidado, pois financiar em várias vezes aumenta as chances de atrasar as prestações, o que pode colocar em risco o seu imóvel e ainda fazer você perder dinheiro!

Confira as regras atuais de financiamento imobiliário.

CONTRATOS DE IMÓVEIS NA PLANTA OU EM CONSTRUÇÃO

O comprador tem o direito de desistir do negócio se achar que não conseguirá quitar as parcelas do financiamento. No entanto, a desistência só pode ser realizada ANTES da entrega de chaves.

A construtora também tem o direito de pedir a anulação do contrato caso o comprador/mutuário atrase a quitação das prestações (normalmente, quando os atrasos ultrapassam 90 dias).

Além disso, se a desistência for do comprador, ele deverá pagar de 10% a 20% de multa, recebendo de volta entre 80% a 90% do valor que pagou até o momento da rescisão de contrato.

FINANCIAMENTO COM O BANCO

Os consumidores que fecharem contrato diretamente com o banco não podem pedir anulação. Então, se as parcelas atrasarem mais do que o limite estabelecido em contrato, o credor pode retomar o imóvel.

Mas como isso funciona?

  • Quando o cliente atrasa mais que a tolerância do contrato, o banco encaminha uma notificação avisando sobre o débito. Essa notificação pode ser entregue via cartório, carta e/ou SMS.
  • Após essa intimação, o cliente tem até 15 dias para pagar o débito.
  • Se até a data limite não for feito o pagamento total da dívida, o imóvel pode ir a leilão em 30 dias.
  • Caso o valor arrematado no leilão seja maior que o valor do débito, o comprador recebe a diferença extra.
  • Se o valor obtido no leilão for menor ou igual ao valor do débito, a dívida é quitada.

Quando o imóvel é leiloado, o consumidor perde o imóvel e também o valor das parcelas que já havia pago.

PERDA DE EMPREGO

Nos casos em que o comprador atrasar as parcelas por dispensa do trabalho, ele pode recorrer ao Fundo Garantidor. Esse fundo permite adiar as parcelas atrasadas por até três anos, de acordo com a renda familiar do comprador.

Ou seja, as prestações em débito são adiadas para o final do financiamento. Se você vai financiar em 180 meses (15 anos) e está devendo duas mensalidades, por exemplo, o seu financiamento é estendido para 182 meses (15 anos e 2 meses).

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp